domingo, 21 de fevereiro de 2010

Seremos nós amanhã?
Hector Silva Michelena, membro da Academia Nacional de Ciências Econômicas, disse em uma conferência hoje, que é uma loucura “repetir o mesmo uma e outra vez esperando obter resultados distintos”, ao referir-se aos planos socialistas do Tenente Coronel Hugo Chavez Frias, o qual preside a Venezuela há mais de onze anos.

Disse ainda que o é “absolutamente demencial tratar de reviver o socialismo, repetir algo que já fracassou; a História demonstrou na prática que é inviável e teoricamente, tal como funcionou, também é inviável”.
A inviabilidade das economias socialistas emena da “apropriação da maioria dos bens por parte de um aparato administrativo onde os produtores não se vêem forçados a competir uns com os outros, o controle direto das empresas pelo partido e suas seções políticas e a falta de democracia política e liberdade em todos os sentidos”.
A carência de inovação, de melhorias tecnológicas, é outro sintoma a considerar na patologia socialista. “Neste aspecto as economias socialistas fracassaram redondamente, a verdade é que sem a competição alimentada pelo mercado, tanto nacional quanto internacional, nenhuma empresa está obrigada a inovar; não se tem observado inovações em uma economia, a não ser as fomentadas pela competição”.
Examinando a Venezuela, diz que atualmente “é impossível negar que o Estado será o grande proprietário”. O Primeiro Plano Socialista deixa ver segundo ele que a relação das chamadas empresas de produção social e o Estado equivalerão a 75% em 2013, enquanto que o setor privado decairá de 57% até 25% do PIB.
Sublinha que “nas 150 empresas onde o Governo interveio não há nenhuma participação dos trabalhadores, tudo é do Estado e do partido porque aqui está se produzindo a fusão Estado-partido. O setor público que representava em 2007 25,5% do PIB está hoje acima dos 30%. Os trabalhadores que trabalham para o Estado, graças a contínuas expropriações, aumentaram em um milhão e aí está o desastroso problema de produção” dessas corporações venezuelanas.
Segue entrevista feita pelo repórter Victor Salmerón, do jornal El Universal, de Caracas:

- Se, como afirma é demencial a intenção de reviver o socialismo, por que achas que o país tenha caído nesta etapa de loucura?- Fidel Castro a transmitiu à Chavez, sua influência é terrível porque Chavez se apaixonou por Fidel. Também existe um pensamento muito simples, crer que temos de abraçar o socialismo para eliminar o lucro, a ganância e alcançar a felicidade; daí surge a necessidade de um superlíder, um redentor insubstituível, assim se sentiu Stalin apesar de tosos os crimes que cometeu.

-Hugo Chávez tem citado a Karl Marx. Há sentido em continuar falando da teoria do valor-trabalho, da mais-valia que o empresário rouba do trabalhador?
-Já ficou demonstrado desde um quarto de século que a teoria do valor-trabalho é falsa. Segundo esta teoria de Marx o valor das coisas advém do trabalho, e foi demonstrado ser falso, porque na realidade o valor das coisas provém de sua utilidade, da escassez. Portanto, é falsa a idéia segundo a qual a o lucro é produzido pelo trabalhador e o capitalista dele se apropria, explorando-o. Atualmente sabemos que a exploração é inerente a qualquer sistema onde existam diferenças ou desigualdades em dotações, de qualquer tipo, de que os indivíduos disponham.

-Para o Governo o empresário é uma personagem negativa que tem de ser eliminada porque não cria valor e se aproveita ds trabalhadores. Qual sua opinião?
- Assim pensa o chavismo, que o empresário é uma personagem negativa que tem de ser eliminada; um 0anibal, ave de rapina, que visa somente o lucro. Discordo totalmente, o empresário melhora continuamente seu processo de produção para poder competir, por isso um dos problemas que teve a substituição das importações foi o fato de ter eliminado a competição estrangeira. Quando o empresário enfrenta competidores nãoo lhe resta outra alternativa do que introduzir inovações ou morrer. Dito isto, devemos adicionar o fato de que o manejo dos meios de produção, a gerência, gera valor. Isso foi demonstrado por Robert Nozick.

-Em seu último trabalho afirmas que não há ética no socialismo. Em que se baseia tal afirmação?
-A pergunta chave no tema da ética é de como alguém deve viver. Que a pessoa, por sua própria vontade decida viver conforme aos valores positivos, é uma decisão própria e no socialismo existente não há liberdade individual, não se podem tomar decisões distintas daquelas prescritas para o caminho do que se denomina de suprema felicidade. Todo o desvio que diga respeito às ações e prescrições que conduzem à utopia é condenável. Para o marxismo a ética é um reflexo superestrutural das condições materiais da vida. É bem conhecido que o socialismo em nenhum país tem criado riqueza, pelo contrário, o que tem acontecido é o que o próprio Marx chamou nivelamento por baixo. Em nenhum país socialista se superou a pobreza, tal como prometiam seus líderes e se a base material do processo produtivo não pode gerar o suficiente para enfrentar materialmente as necessidades humanas, o que pode haver de ética?idiotice é esta de

-No Primeiro Plano Socialista se afirma que estamos inventando o socialismo do século XXI e que ele somente será possível em um tempo histórico médio.
-Se o socialismo do século XXI é algo que o Governo e seu líder estão inventando, e que a sua plena realização requer um tempo histórico médio, então os venezuelanos somos objetos experimentais, como ratos e coelhinhos de laboratório, manipulados por algum psicólogo dirigente. Além disso, por que Chavez tem pressa em eliminar as “leis burguesas”? Não se pode compreender isto, a menos que nos situemos no plano do absoluto voluntarismo autoritário que caracteriza a conduta do Presidente.

-A riqueza petrolífera não dá à economia da Venezuela a possibilidade de tentar com que funcione o sistema socialista?
-Apesar do boom petrolífero o país sofre uma crise tremenda pela estagflação, isto é, alta da inflação sem crescimento econômico. O petróleo somente amaina, permite certa margem de manobra. A Venezuela vai ser o único país da América Latina a apresentar recessão em 2010. Nesses onze anos o que se tem feito é criar um país mais dependente da renda petrolífera, que não é controlável.

-O que pode ocorrer se o Governo lograr uma vitória nas próximas eleições, marcadas para setembro, e mantenha o controle sobre a Assembléia Nacional?
- Se o Governo obter uma vitória desse tipo nas próximas eleições, se acelerará o colapso e a demência.

(Víctor Salmerón  - EL UNIVERSAL)

Um comentário: